Make your own free website on Tripod.com
  O REBOCADOR SÃO PAULO

Edmar Mammini

Desde menino eu gostava de ver os rebocadores no porto de Santos manobrando os navios ,os dois deles que mais me impressionavam eram o São Paulo e o Saboó. Prometi a mim mesmo que um dia reproduziria o São Paulo, por ser a vapor e bem maior que o Saboó que era a Diesel. Durante anos tentei conseguir as suas plantas de construção mas de forma infrutífera; foi quando em 1987 em uma viagem a Europa encontrei uma planta muito semelhante ao São Paulo, mas não era o São Paulo, era o Cérvia, da mesma leva de rebocadores  de alta potência que tinham sido feitos durante a guerra para serviços pesados, um irmão seu mas não gêmeo.
 

Foi o mais próximo que consegui, depois de iniciada a construção é que vim a saber que o São Paulo tinha dois hélices ao passo que o Cervia só possuía um. Cervia foi o irmão que encontrei , e como já dito um rebocador de alta potência para a época. Ambos eram de projeto e fabricação inglesa.  Como eram semelhantes mas não iguais propositadamente comecei a distorcer os planos do Cérvia para que ficasse mais próximo do São Paulo e assim foi,  o modelo é parecido mas não a cópia fiel do que eu tanto almejara.

Características

O Rebocador São Paulo - o modelo - foi construído na escala de 1:28,5 = a 1m = a 35mm, escala essa usada em  muitos museus navais, por que? não sei. Ele tem 120 cm de comprimento, 35 de boca, 8 cm de calado e 16 cm de pontal, pesa 18 kg com carga e 16 sem carga. A carga é água e combustível. O rebocador foi construído entre nos anos de 1988 a 1990. O cascoé de fibra de vidro e resina poliester, a superestrutura é de “Composite” é um tipo de placa sintética que se fabrica circuitos impressos para indústria  eletrônica, retirando-se o cobre dá um excelente componente construtivo, melhor que fibra de vidro ou fenolite, celeron ou epóxi.
 

Esse material se cola com  super bonder muito bem , sem se descolar com o tempo.O convés é de madeira clara ,  foi usada uma madeira de nome Marfim, os mastros em madeiraPeroba  que é muito boa para essa finalidade , o chaminé foi feito com tubo de fenolite , os mesmos usados em indústria elétrica. Os ventiladores foram moldados emAcrílico, os moldes foram feitos de madeira.
 

A cabina de comando foi feita em mogno envernizado.Os guarda-mancebos e gradís são em latão, os “gratings” em Imbuía clara. Os cabeços de amarra, guincho da âncora e capstansão de celeron de gramatura fina. A pintura é toda  em nitrocelulose. O rebocador é a vapor, seu combustível é gás liqüefeito de petróleo. A máquina é do tipo alternativo com dois cilindros de duplo efeito a 90º com  válvulas tipo gaveta, é a condensação com condensador tipo ejetor de ciclo aberto. Possui bomba de óleo com catraca,  para lubrificação do tipo pingo a pingo e bomba d’água para repor nível de caldeira do tipo servo assistida.
 

O projeto da máquina é inglês da firma “Stuart Turner”. Toda a usinagem e partes não fundidas foram feitas em minha oficina de modelismo com componentes como aço doce e inox adquiridos em São Paulo. A caldeira é do tipo áquatubular mod. “Babcock-Wilcox” com tiragem por convecção simples. O queimador é do tipo cerâmico - (os mesmo com que se usam em assadores de frango) - sendo servo comandado e com piloto para acendimento remoto. A caldeira é toda feita em cobre com parede de 2mm de espessura, soldada a prata a 35%, e os “fittings” com
solda a 45%. A capa da caldeira é em latão de 0,65 mm revestido em amianto por fora e por dentro.

O projeto da caldeira e a execução da mesma é toda tecnologia própria, e também foi feita na mesma oficina que a máquina e barco. Comprado pronto  tem: o manômetro , o bujãozinho de gas, e as esferas de inox que atuam as válvulas de retenção, os demais componentes são de fabricação própria, inclusive o vidro do  nível d’água da caldeira  O Rádio Controle é também comprado e tem 6 canais, sendo 5 em uso assim dispostos:1-Leme, 2-Velocidade,
3-Apito, 4-reverção (avante e ré), 5-Controle de chama da caldeira. O sistema de propulsão é hélice. O hélice, eixo, tunel, mancal de escora e acoplamento elástico foram todos projetados e executados em minha oficina. De forma que esse modelo foi totalmente construído em São Paulo.
 

Esse rebocador possui um empuxo de tração da ordem de 4 kg/f com a pressão da caldeira a 60 PSI ou  4,5 kg/f, e por essa razão foi usado como modelo experimental no tanque de prova de modelismo naval do IPT “Instituto de Pesquisas Tecnológicas”- como modelo de ensaio para os projetos de rebocadores a serem desenvolvidos para o sistema hidroviário Tietê-Paraná.

Eventos que participou e prêmios

1991-Inglaterra em NorFolk & Norwich, 1º lugar -Prova para barcos a vapor- .
1991 -França, Lyon-Yzeron, 2º lugar - Campeonato Internacional para barcos a vapor-.
1992 Niteroi,-Festival Niteroiense de Nautimodelismo,não pode participar por ser o único a vapor.
1993-Rio de Janeiro,Escola Naval 1ºlugar, Melhor Modelo Civil .
1994 França,Lyon-Yzeron, sem classificação,
1995 São Paulo, Modelódromo do Ibirapuera 1º lugar como o melhor modelo em escala.
1996 Áustria, Viena, Concurso “Blauesband-Wien” 1º lugar.
1997 Argentina,Buenos Aires, menção honrosa, não houve a prova devido ao mal tempo.

Foto

Clique sobre a figura para ver em tamanho maior

Retornar à página principal